sexta-feira, 15 de maio de 2015

Carência

É uma vontade tão pequena, tão ínfima. Chega ser ridículo, mas de braços que abraçam apertado e nariz que me cheira como quem cheira a fruta favorita, a boca que fica muda quando o olhar diz tudo, ah disso eu não tenho, tá em falta e falta eu sinto. Mas vem cá, corpo qualquer não quero. É vazio, é tolo. Quero corpo que reflete uma alma cheia e é cheia de amor. Essa vontade não é grande, não faz estrago, mas tá sendo sentida aqui enquanto jogada no sofá permaneço. Então penso: vontade tenho a tanto tempo e nem é tempo disso, quando chegar a hora posso suspirar aliviada de desejo?

0 bolhas estouradas:

Seguidores