sexta-feira, 22 de julho de 2011

A Espera.

Seu vestido florido e as sapatilhas pretas. Seu cabelo bagunçado. E ela andava tão leve, quase flutuante. Esperando. Uma pipoca doce pra amargar a boca enquanto esperava. No banco vermelho do parque vivo. Tão cheio de vida, e ela esperava. O que esperava? O que faltava? Algo a incomodava. Sabe, as vezes eu queria ser ela. Sentar e esperar. Usar uma roupa boba de tão bonita e esperar. Algo Maior. Algo pelo que viver, alguém pra se contar. Cadê?












PS: Eu exclui sem querer essa postagem, aí tô repostando :3

1 bolhas estouradas:

Railma R. Medeiros! disse...

Que lindo. Tão doce como a pipoca... Acho que o ser humano necessita disso, necessita de esperança, necessita de esperar algo melhor que tudo acontecer. Sem isso nos tornamos seres feios, seres sem vida.

http://railmamedeiros.blogspot.com/

Seguidores