quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Mar de tecidos.

As cobertas espalhadas pela cama enorme. E nós perdidos naquela imensidão de tecidos. Perdidos dentro de nós mesmos. Nossas pernas entrelaçadas enquanto eu o olhava com toda a paciência. Eu não queria desviar o olhar. Não queria nada. Estava em minha plenitude. Você sorri e me dá um selinho demorado. 
- Vamos sair da cama? - Você já lutava contra os tecidos. 
- Não, o que tem fora da cama melhor do aqui? - Fiz uma careta provavelmente hilariante, porque você ria como um bobo.
- Tem ovos e suco de uva. Estou faminto. - Bufei derrotada. Não havia ovos e muitos menos suco de uva aqui.
- Ok, lá vamos nós. - Então lutamos juntos contra as cobertas quentes pra nos depararmos com um chão frio. Catei sua blusa surrado dos The Strokes e caminhei em direção a cozinha. Os ovos já salpicavam quando suas mãos quentes chegaram em minha cintura me apertando de leve.
- Bom dia. - Seu hálito fresco em meu pescoço arrepiado.
- Bom dia. O suco acabou, vai lá comprar. - Virei pra trás enquanto você abria em vão a geladeira.
- Yourgute serve pra mim hoje. - De repente você sai em direção à sala. E a música invade todo o nosso apartamento silencioso. Os ovos estavam prontos enquanto eu pegava as torradas mas você não resisti à uma boa música. Me puxa pra si e começa mexer seu corpo desastradamente, a música é leve, é pura, a música somos nós na cozinha dançando enquanto os ovos se esfriam. Começo a rir exageradamente e você se contagia. Um beijo sem pressa e dane-se os ovos e yourgute de morango. Quero nosso mar de tecidos.

3 bolhas estouradas:

''Tay' disse...

Aaah adorei o conto *-*

bjus =*

Elyza C. disse...

liindo *-*

Sobrepuja - se disse...

menina que coisa linda!!!

Seguidores