quarta-feira, 20 de outubro de 2010

The bookstore (Parte 1)

Por mais que eu amasse a livraria em que eu trabalho aquele lugar poderia ser... entediante. Claro que eu amo ler, mas quando todos os livros em sua frente foram tocados pelos seus dedos, a coisa toda perde a graça. Depois que você nota as paredes descascadas e o abajur quebrado, aquela livraria fantástica se tornou um simples trabalho. 
- Jorge vá ao depósito e pegue aqueles livros que chegaram hoje de manhã, ok? - Marta me pediu com aquela sua voz irritante que lhe dá um ar de doente. Subi as escadas encontrando várias caixas empilhadas, me dando de repente uma preguiça vertiginosa. O sininho toca e surge uma garotinha com seus seis anos de idade acompanhada por uma garota com uns adoráveis dezesseis anos. 
- Molly, Molly, eu quero esse livro azul! - A pequena criança pulava freneticamente e queria tocar em todos os livros que via.
- Quieta Charlie, senão você não vem  comigo na próxima vez. - Molly a repreendeu fazendo-a parar.
- Charlie fique quieta para que eu possa te dar um livro azul. - Interferi deixando os olhos da curiosa Charlie e da desconfiada Molly atentos a mim. Desci o resto  da escada, coloquei a pilha de caixas em um canto qualquer ainda sentindo os olhares em mim - Marta poderia por favor pegar aquele livro " Os contos de Beedle, o Bardo " na seção infantil está bem? Eu atendo as duas moças. E você... Molly? O que deseja?
- Algo que me tire o tédio. Tem algo assim pra mim? - Brincalhona, Molly me perguntou enquanto eu me entretia com seus cabelos desgrenhados e as suas unhas sujas de um esmalte ruído.  Molly, a representação de jovens descalços nas ruas frias de Londres, bêbados na noite escura e filhos obedientes de pais surdos que não escutam quando a porta é fechada com cuidado as três da manhã. Sei porque já fui assim. Tão travesso quanto podia ser.
- Bom, posso lhe dizer que não há livro nenhum com esse titulo, até porque já li quase todos dessa livraria mas há um livro que poderá se interessar... que tal "O Baile das Lobas"?
- Algo menos selvagem, que tal? - Minha gargalhada estranha se escapou antes que eu notasse que estava rindo da pobre Molly. Suas bochechas enrubesceram e de repente seu sorriso era tímido, quase não existia. Dei as costas pra ela e busquei um livro que certamente ela adoraria. 
- "Eu sou o mensageiro." Eu o adorei, eu li em uma madrugada. - Uma sobrancelha arqueada e dedos tamborilando o vidro embaçado da bancada velha. - Darling, eu já li mais livros antes mesmo de você saber juntas as sílabas. Leve, e volte aqui semana que vem para buscar outra recomendação. - Ela tinha sacado a minha, pegou o livro da minha mão com um sorriso malicioso e deu o veredicto:
- Daqui á dois dias estarei aqui. - Sorrimos bobos como se nada tivesse mais graça que uma aposta como aquela. Mas aonde estaria Charlie, a pequena versão de uma Molly inocente? Fujira entre os livros empoleirados e nunca cheirados. - Char? Corre aqui. Estamos quase indo.
- E meu livro azul? - Charlie perguntou ansiosa. 
- Aqui mocinha - Marta finalmente chegou entregando o livro para a menina.
- Quanto deu? - Molly interveio já pegando a carteira e arrancando algumas notas
- £27,50 e até daqui dois dias. - Sorri atrevido enquanto embalava os dois livros.
- Não se assuste se eu aparecer aqui antes disso... ?
- Jorge. 
- Jorge foi um prazer. Vamos Charlie eu tenho um livro pra devorar - Uma piscadela e sete passos a porta. Mal posso esperar. 

5 bolhas estouradas:

Lorran Cunha disse...

Eu achei a perfeição nesse texto, e vocês ?
Quando você vai parar de fazer textos vivos assim, Geovanna ? HAHA

Marcos de Sousa disse...

Adorei o texto. Quando você irá postar a continuação?


Seguindo... Quando puder, me faça uma visita: http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/

Rafah G. disse...

é tão leve, fofo e contagiante, quero de novo geo!

bianca g. disse...

Texto legal esse!
beijos :)

jefhcardoso disse...

Querida Geovanna; gostei muito da construção de seu texto. Quando virá o próximo? Abraços.

Quero aproveitar e lhe convidar para ler “DENTISTA (O PRELÚDIO DO TRAUMA)” no meu http://jefhcardoso.blogspot.com
Será um prazer lhe receber.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Seguidores