terça-feira, 25 de maio de 2010

here is nothing to talk or feel.

Teoricamente é outono. Teoricamente não se deve se chatear com a ausência, ou ao menos ligar pro desconhecido. Mas nada teórico se aplica realmente a realidade, certo? 
Já me disseram que aquilo que você não sabe dizer o que é não existe. E me disseram também que isso é uma bela mentira, e eu não vou discordar.
O problema é que, as vezes, sem estarmos preparados, algo se mexe dentro de você. Algo viscoso, que se contorce e que te sufoca até você não conseguir sentir mais nada, você apenas se concentra nesse incomodo que se transporta por todo seu corpo. É como um desconforto sem fim e que ninguém sabe como veio ou o seu fim. Tenho a leve impressão que isso se chama pressentimento, ou quem sabe a perda. Não faz muita diferença porque seja lá o que for tem um gosto de fel e  tira o oxigenio. 
Odeio me sentir assim. Odeio esse feto de amargura e desconforto em meu âmago.
Odeio mais ainda não encontrar as palavras certas pra esse indefinido. Ou melhor as palavras certas para o indescritível. 



ps: me diga que já sentiram isso, acho que estou começando a perder a sanidade.

2 bolhas estouradas:

bianca g. disse...

Acho que eu nunca senti isso não! oO' o sim...
Gostei. Beijos

Maiara disse...

Pode ter certeza de que que você não está perdendo a sanidade, também já me senti assim e a sensação é horrível. Saber e ao mesmo tempo não saber, é uma coisa esquisita.
beijos

Seguidores