domingo, 28 de fevereiro de 2010

frustration


Era notável que o inverno estava chegando. Eu tremia violentamente. As ruas nunca foram tão frias. Mas não tão frias quanto o meu coração. Chegará momentos na vida onde você se depara com a frustração. Você se frustra dos seus amigos, da sua família, dos seus segredos, seus medos, se frustra com o seu amor medíocre, se frustra consigo mesmo. E carregam consigo essa frustração pra onde quer que vá. Como um fardo que fere suas costas e sangra seus pés. Muitos levam essa frustração a vida toda. Alguns se cansam. Outros choram. Mas existem as exceções. As exceções escrevem. Vomitam as palavras e assim se aliviam mesmo que faça pouquíssima diferença. 
A culpa de tudo isso é a expectativa que se alimenta ferozmente e te destrói. Culpe o mundo, culpe o sua alma frágil. Mas não se esqueça da expectativa. 




                                                                                                     TPM.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

innocence was shattered




Os cabelos ajeitados, o sorriso confiante em seu rosto, a mochila nas costas e apenas passos firmes.O que uma garota de 15 anos sabia sobre a vida? Muito pouco. Tanto a aprender. Mundos a descobrir e infinitos erros a cometer. 
Um acidente inconsequente e alguns livros no chão. Olhares trocados, a educação em excesso nos pedidos desculpas. Um pensamento rápido, que passou quase despercebido. Ela acabara de tropeçar no amor dela. Mal sabia ela.
O tempo passa como um louco. Os sentimentos crescem como nunca e um namoro é anunciado. As juras de amor são feitas e as promessas declaradas. Ela nunca fora tão feliz. Mas acontece que aos 15 ninguém nos conta o quão os sentimentos são volúveis, ou como tudo é passageiro. Ninguém para pra explicar que a verdadeira realidade não é visível. 
Ela se entregou de corpo e alma. Nada a impedia de sonhar com um futuro tão lindo. Mal sabia ela.
Como quem não quer nada o fim chegou, silenciosamente, sem ninguém notar. Mas chegou sem escrúpulos e no fim das contas ela era apenas mais uma garota com o coração partido.
Se arrependera. Não deveria ter sido tão inocente. Não deveria ter se entregado inteiramente nos braços dele. Fora tola. 
Mas ela aprendeu. A primeira de muitas lições. Reergueu-se mesmo com o coração sangrando. E seguiu em frente deixando pra trás tudo aquilo que sonhara. Deixou as venenosas lembranças no esquecimento.
Algumas estações se passaram. Um reencontro inesperado. Agora ele via o quão diferente ela estava. O sorriso confiante fora embora, e ficaram apenas olhares atentos. Naquele momento ele percebeu o quão perdeu. Queria voltar a trás, mas antes que pudesse pensar em desejá-la ter ela só pra si ela não estava mais lá. Ela se foi. Porque muito ela aprendera.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

The outburst

Um linha tênue entre o caos e a felicidade, choros bobos, risadas desnecessárias e momentos passageiros onde as emoções são superficiais. A razão e a solidão. Tão entrelaçados como um só. Queria poder viver mais. Sentir mais sem nem notar. Esquecer que aquilo tudo pode se acabar exatamente como começou. Um mistério. Uma bagunça onde poucos espectadores podiam ver, e ninguém sequer entender.

Muitas verdades sobre mim ainda irei aprender, mas o pouco que sei de mim posso afirmar que detesto verdadeiramente não saber o que estou sentindo.Não saber das minhas próprias reações ou das minhas ações, o desconhecido não me agrada. Não o meu desconhecido. Mas se não enfrentarmos o nosso próprio desconhecido o nosso próprio eu, quem poderemos enfrentar?

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Srta. Fernandes :x


Com lágrimas nos olhos sinto lhe informar que nos afastamos das pessoas que mais amamos. Sem notar. Sem sentir. Talvez não seja tarde demais para nós. Talvez seja apenas aqueles momentos onde nós duas precisamos de um tempo.. para respirar. Nós duas sabemos que não somos mais as mesmas. Mudamos, crescemos, nos transformamos e em meio a tanta transição.. nos perdemos. E isso é uma linda verdade. Uma verdade que machuca, e só você e eu pode entender essa dor. Tenho medo do que isso pode virar. Por mais eu não aparente, você me faz uma falta significativa. Não são dos sorrisos cúmplices, nem dos olhares de irmãs e nem dos gestos bonitos.. e sim dos momentos únicos que só terei com você. Não tenho nenhuma idéia de como vamos recuperar nossa velha intimidade. Mas espero que seja logo, antes que seja tarde demais. 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Ponto de Partida

Naquele momento eu não me importava se a cidade estava silenciosa como nunca. Não me importava se ainda era cedo o suficiente para haver estrelas no céu. Naquele momento a dor era grande o suficiente pra eu não ligar pra nada. Até onde eu suportarei ? Nós dois sabemos que esse relacionamento já fora longe demais. Não posso mais. Não quero suportar essa situação onde me sufoca, me esmaga. Lembro me bem dos momentos de pura alegria que passei ao teu lado. Não pense que eu esqueci. Você me fez feliz. Me tornou viva novamente. Mas esses momentos se foram. E junto com eles fora o meu amor. Eu tentei. De todas as formas. Saiba que dói em mim abrir mão de você mas chegamos há um ponto onde não há solução. Vamos parar de fingir.  É um ciclo que não se acaba. As brigas não serão esquecidas. As feridas serão reabertas. Então por favor não insista numa outra vez, numa nova chance ou em outro recomeço.
E será assim que se acabará. Decisões tomadas. Rumos diferentes e corações partidos.




ps: depois de quase séculos sem postar aqui estou eu :B ninguém é obrigado a gostar desse texto. Não é meu favorito CONFESSO mas ao mesmo tempo eu gostei muito dele :B confuso eu sei. Enfiiim , como promessa é dívida.. Isabella Vieira , miiiiinha gatinha: esse texto é teu. Cada palavra e vírgula. Espero que você goste. 
beijiiinhos ;* geo.

Seguidores