quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Toca os sinos pequeninos..

Minha expressão não era a melhor de todas eu sabia. Mas se isso mantêm todo mundo longe.. Ótimo. A verdade era que eu odiava o Natal. Ninguém se lembrava do real motivo pro Natal e só servia pras pessoas gastarem o que não tem.
- Uvas ? - Minha tia velha me ofereceu com uma expressão feliz no rosto
- Não obrigado - Forcei um bom sorriso mas acho que não convenceu ninguém. Droga
- Brigou com o namorado não foi ? - Ela sugeriu com os olhos faíscantes.
- Não eu não tenho namorado. - Antes que ela pudesse abri a boca dei as costas pra ela e saí. Não me importava mesmo se eu estava sendo sem educação ou não. E novamente colocando a educação de lado saí daquela sala cheia de estranhos que diziam ser meus parentes e fui em direção ao meu quarto.
Era sempre assim, aquela história de Natal ser um dia feliz um dia de comunhão era um mentira. Uma bela farsa. Nunca conheci a magia do Natal e eu sabia porque. Porque não existia. Como eu já havia dito: Farsa. Olhei para minha janela encontrando aquelas belas casa cheias de pessoas felizes. Eu só queria entender aquilo tudo. Talves horas tenha passado ou apenas segundos mas eu definitivamente não podia continuar ali. Peguei a minha bolsa e fui em direção a janela. Eu fugira pela aquela janela inumeras vezes. Não era hoje quando todos estavam bebados e felizes que iam me descobrir.
Como eu esperava as ruas estavam mais do que desertas. Chegava ser estranho ver a cidade toda silenciosa 
daquela forma. Eu poderia parar e apreciar aquela estranha anormalidade mas estava com pressa. E ao menos pensando pra onde iria parei em frente aquela praça, cheia de enfeites natalinos e igualmente silenciosa. Fazia tantos anos que eu ia aquela lugar que era de se esperar que eu fosse sem ao menos pensar. Sentei no velho banco em frente as lindas árvores e esperei. Esperei pelo sinal de que natal não passava de uma bobeira e que no fundo daquilo tudo havia um significado maior. Aquilo era ridiculo eu sabia. Mas talves no fundo eu queria também poder sentir aquela alegria de natal que todos têm.
Não sabia se eles já estavam ali o tempo ou se havia acabado de chegar. Não importa, eles ao menos me notaram a minha presença e era mellhor assim. Era apenas um pai com seus filhos brincando de neve. Uma coisa que eu não via a tanto tempo que eu me esquecera o quanto era... o quanto era bom. Aquela atmosfera divertida onde todos estavam felizes de verdade. Uma familia de verdade. De repente a pequena garota puxara a blusa do pai dizendo que faltava apenas 5 segundos pra meia noite. E juntos eles fizeram a contagem regressiva numa ansiedade que posso assegurar ser quase ser desumana. Era lindo. Ver aquelas duas crianças pulando ao redor do pai desejando-lhe Feliz Natal. Deixando eles sozinhos virei as costas indo em direção a minha casa satisfeita com minha nova descoberta. Então era isso. Agora eu entendia. Talves para mim não passasse de um feriado comercial. Mas pra alguns havia algo maior. Para alguns aquilo fazia sentido. Para alguns afinal de contas havia magia.

ps: oooooooweeed *-* droga o natal me deixa uma besta rs. Ta, eu odeio o natal grr e daí ? Mas er, MERRY CRISTIMAS EVERYBODY *-*
Dedicação a Loh  e ao Gabriell por ter ajudado. E dedicação maior ainda pra MAAARI *-* Por que sem ela eu não entendia a magia do natal rs
beijos
geo.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Could you love me to death?

Em minha posição fetal naquele banheiro mal iluminado eu chorava.Simplesmente não conseguia parar. Eram lágrimas de revoltas.Lágrimas dolorosas e carregadas de puro ódio. Eu havia feito uma promessa. Mas estava lá novamente quebrando ela. O culpado daquilo tudo era ele. Sempre fora ele. Odiava me sentir assim, tão vulnerável, tão.. fraca. Tudo isso por alguém que ao menos merecia isso. O meu veneno diário. Minha intoxicação. Eu não amava aquele imbecil. Era muito mais forte que isso. Era quase uma maldição que parecia ter se fundido em minhas entranhas. Era desesperador. Era minha sentença de morte. Os soluços não eram mais contidos. Não havia motivo pra isso. 
Três leves batidas na porta e o choro aumentara. Eu sabia exatamente quem era. Gritei desesperada implorando que ele fosse embora. Mas ele não iria desistir. Eu sabia o quão teimoso ele podia ser. 
Os segundos passavam se arrastando, a qualquer momento ele estaria ali do meu lado. Me deixando pior do que eu estava. E como se ele estivesse sempre ali, senti seus braços me envolvendo como uma criança aterrorizada. E novamente estava eu me intoxicando com o cheiro que vinha de sua pele. Me desesperei ao pensar que a qualquer momento ele podia ir embora ou quebrar novamente meu coração. Seu braço se tornou mais forte enquanto minhas lágrimas ensopavam sua camiseta. Uma pequena parte da minha mente me tentava frustrastemente achar motivos para eu parar de chorar. 
Aos poucos o cansaço e a falta de lágrimas me venceram. Ainda embalada por aquele abraço lamentavelmente seguro e bom. Senti seus lábios roçarem em minha testa.
- Eu sinto tanto. Sei que sou culpado do seu sofrimento e você não tem noção do quão isso me faz mal. - Suas palavras sussurradas contra minha pele fria me fez tremer
- Não piore as coisas. - Um horrível silêncio se instalou e na mesma hora me arrependi. Mas não era momento de voltar atrás. Com uma enorme relutância saí de seus braços e fiquei de frente a ele, seus grandes olhos azuis me olhavam vendo a decisão se formar nos meus olhos 
 - Dave... Não posso suportar mais, estou cansada das mentiras da sua ausência, dos boatos... Não posso mais suportar. Você sabe muito bem o quão eu te amo. Mas antes de tudo eu devo ter amor próprio. Sei que abrindo mão de você vou estar renunciando minha forma de vida. Meu tudo. Mas dizem que o tempo cura tudo. - Dei um sorriso amargurado e tentei continuar o que já estava feito - Por favor não volte a me procurar. Espero que encontre alguém pra você ficar ao lado dela sua vida toda.
- Você sabe que seu lugar é ao meu lado - Suas palavras quase me fizeram esquecer de tudo. Mas no final de contas são apenas palavras.
- Foi. Um dia isso era um verdade - Nós dois chorávamos olhando um pro outro, vendo o quanto estávamos perdendo naquele momento. E pela última vez sentir o gosto de sua boca na minha. Eu sentia sua urgência e correspondi da mesma forma. Me afastei dele o que era por sinal rápido demais. Fechei os olhos e esperei que ele fosse. Ele foi. Pra nunca mais voltar.




ps: drama,drama,drama er mais drama ): vocês devem estar cansadas disso né? Desculpa mas precisava fazer algo bem dramático rs. É gente, eu voltei :D sentiram minha falta? Aposto que não há. Poisé, hoje vou fazer uma coisa incomum. Agradecer: Obrigada Gabriell por não deixar eu desistir de postar.Não é que valeu a pena? rs Kamilla minha doce de coco Obrigada duplamente por tudo, sua louca um dia eu te pago seus cinquenta conto haha
beijos 
amo vocês *-*

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

HIATOS

Era apenas difícil.. respirar. A agonia de esperar que a qualquer momento, a qualquer passo em falso, tudo exploda e começará o inferno. Ou melhor o meu inferno. A vontade é de contar tudo, colocar tudo pra fora, todas minhas ultimas atitudes não tem sido as melhores mas talves a melhor é apenas falar. Teria que arcar com todas as consequências, mas e o medo? A insegurança? O medo das palavras afiadas como uma navalha. De que os meus piores temores aconteça. E só de pensar que eu causei tudo isso é muito mais frustrante. 
Sim, ficarei sem internet por tempo INDERTERMINADO. Culpa de quem? Minha, ok podem jogar pedras e desculpem por isso ): tinha milhões de coisas pra postar mas agora.. Bom gente assim que eu sair do meu castigo eu volto com tudo ok? Amo muito vocês, mesmo não ligando pra mim. 

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Uncertain Fate.


Com um cigarro em uma mão e os olhos vidrados na lua as horas passavam se eu ao menos notar, eu não ligava. Havia todo o tempo do mundo para mim apreciar o que eu queria. Estava focada em tentar esquecer o que deveria ser esquecido. Não queria lembrar das coisas que foram ditas que entraram como uma faca no meu estômago. Era pior do que se fosse no coração porque bom, no coração as chances de não sobreviver eram bem maiores. Mas enquanto eu tentava colocar aquelas inconvenientes lembranças em uma caixinha aonde eu nunca mais abriria um sentimento se angustia se instalava no meu peito, se espalhando por todo o meu corpo, eu havia me dado conta de como sozinha eu estava naquele momento. Não queria ninguém do meu lado me dizendo nada. Não queria que ninguém me apoiasse apenas queria alguém do meu lado. Isso bastava para mim. Eu sentia falta de tudo que havia dado as costas. Sentia falta daquela velha alegria que me rondava todos os dias e que ao mesmo tempo que estava tão perto eu estava tão alheia a ela. Eu havia ido muito longe pra me arrepender e voltar. Não arrependeria por tudo que eu tinha feito, eu não podia. Tinha lutado tanto tempo por isso, não iria voltar, eu apenas queria levar comigo aqueles poucos fragmentos de felicidade que eu tive.Os primeiros raios de sol já aparecia no céu, eu definitivamente tinha perdido a noção de tempo, me levantei sentindo minhas pernas um pouco travada pela mesma posição durante horas, joguei meu cigarro fora e novamente dei as costas ao mundo e fui embora sem olhar pra traz.


ps: Ninguém vai entender esse texto, ninguém vai apreciar-lo como deveria com exceção de uma pessoa, e espero que ela goste. Desculpe pela demora, e essa texto pode ser uma realidade daqui uns anos... Depende o que acontecerá :D Mas se acalmem, não é MINHA realidade. Ok ok, estou falando e falando e não explicando nada D: desculpe por isso e novamente desculpa pela demora pra postar D: e a propósito: parabéns rute e nhe nhe *-*

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Meu Dia Azul


Meus pés tocando a parede enquanto o resto do meu corpo na minha enorme cama. Eu estava exausta, tinha sido um longo dia. Grandes descobertas, grandes decisões, pequenas mudanças e um labirinto sem fim. Enquanto meu corpo se desligava da minha mente. Pensamentos tumultuosos apareciam, era difícil dizer o que era certo, o que realmente eu devia fazer. Estava demasiadamente quente em meu quarto, diferente do resto do mundo. Parecia que o mundo ia cair a qualquer momento com aquela chuva. Mas eu estava segura. Enquanto uma música tranquila ligeiramente opressiva enchia meu quarto de notas elaboradas minha maior vontade era de estar lá fora. Estar em meio ao caos climático, sentir a chuva ricochetear meu corpo por inteiro, queria sentir de perto o cheiro de terra molhada. Eu queria o inimaginavel. Porque a fantasia era mil vezes melhor do que qualquer realidade. A realidade era de que se eu saísse as três horas da manha de uma terça feira numa tempestade de matar burro eu pegaria uma gripe ferrada além de um castigo que era preferível nem pensar na idéia de sair. Mas e a fantasia? Eu poderia ir aonde eu queria, ter as regras que eu desejasse, era minha liberdade. Minha imaginação. Mesmo não passando de coisas que ficam estritamente em meus pensamentos, era apenas meu. Algo que ninguém poderia tirar. Na verdade ninguém realmente gostava da realidade. Ninguém quer dar de cara com ela. Ninguém quer enfrentá-la. Estão todos presos em bolhas. Bolhas de amores, bolhas de fantasias infinitas procurando a felicidade que muitos cobiçam. Eu andava aprendendo a escrever meus devaneios mas quem sou eu pra mostrar a todos o meu mundo? Com pensamentos idiotas e confusos, fantásticos e abstratos fui embalada pelo sono que chegou como aquela chuva. Era o ingresso para o meu único mundo.


ps: o que o titulo tem haver com o post? hmm. quem gostou? nha eu adorei gente espero que vocês, também. beeeijos amo vocês *-*
xoxo
geo.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Morte



Minhas pernas iam ceder a qualquer momento, mas eu continuava a correr sem olhar pra trás, tentava debilmente correr pra ver se tudo aquilo ficasse pra trás, mas a única coisa que realmente acontecia era o vento cortando o meu rosto de uma forma abrupta. Eu não me importava mais nem com as lágrimas nem com nada. Estava no pior tipo de estupor, estava cética. Não queria acreditar, não queria ver a verdade. Não devia. Mas ela chegaria tão rápida e inesperadamente que chegava doer. Eu tinha perdido uma das pessoas mais essenciais da minha vida, ela fazia minha segurança; minha paz; minha alegria. Agora era ela tinha ido embora. Eu não me despedi. Me sentia tão frustrada, tão sem chão. Eu ao menos sabia se ela realmente sabia o quão importante ela era pra mim. Eu queria berrar. Queria agir. Porque aquilo estava entalado na minha garganta como um nó cego, se eu já achava a vida injusta, agora não tinha nenhum vestígio de dúvida. Agora eu entendia o real poder da Morte sobre as pessoas. Eu sabia que um dia aquela dor absurdamente grande iria saindo do meu peito conforme o tempo, mas era difícil acreditar em um futuro. Nem um abraço acalmaria minha dor nem um sorriso reconfortante alimentaria minhas esperanças de uma nova alegria.
Havia se passado alguns dias depois da morte dela. (ainda era difícil pronunciar o seu nome) As coisas ainda eram um pouco.. insuportáveis mas devo admitir. Havia aprendido muito. Aprendido que As pessoas morriam. E aqueles que ficavam tapava seus olhos para o passado de desavenças. Fingiam ser surdos para as palavras venenosas que lançam contra aqueles que havia perdido. Ignorava as imperfeições que tanto odiava e tentava sugar ao máximo todas as lembranças, aquelas maravilhosas lembranças que todos querem levar pra si para sempre.
Nada pode ser invertido agora e devo aprender a lidar com essa dor. Espero que ela desapareça e que fique apenas memórias. Porque é tudo que me resta agora.

ps: ta, muito triste não? é eu sei :/ mas caaaaaalma ninguém morreu! só queria demonstrar a vocês como eu acho que as pessoas se sentem quando perdem alguém. É gente, eu sei falar sobre sentimentos que nunca realmente senti. estranho? meu dom e rs , mas enfim galere espero que gostem! comeeeeeentem rere
beeeijos
geo.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

On my Own (8)

Vejo todas
essas
pessoas no chão
Perdendo tempo.
Tentei segurar tudo por dentro,
Mas só por esta noite.
O topo do mundo,
Sentado aqui desejando.
As coisas que eu me tornei
Que há algo faltando.
Talvez eu...
Mas o que eu sei?

E agora parece que eu
Não encontrei nada.
Quero ouvir sua voz alta e clara.
Vá mais devagar.
Sem tudo isso
Estou sufocando com nada
Está claro em minha cabeça
Que eu estou gritando por algo
Saber nada é melhor do que saber.

Estou sozinho.

domingo, 30 de agosto de 2009

A ausência .

Fechei os olhos e o mundo continuou a girar. Eu andava patética nesses últimos dias, mal humorada, sem paciência e até coisas piores, mas eu sabia exatamente porque estava assim, sabia o por que dos choros silenciosos, dos momentos deprimentes, o motivo da minha repentina preferência por músicas mais melancólicas. Era um quebra-cabeça que eu já tinha desvendado antes mesmo de tocar nas peças. Era familiar. Era apenas a sua ausência. A falta do seu cheiro em meu travesseiro, era o silencio tão repentino e estranho aos meus ouvidos, era o desespero que se instalava como uma névoa tão rapidamente quando seus braços não estavam me envolvendo. Eu estava viciada demais pra viver sem seus olhos fitarem os meus. Estava demasiadamente dependente de tudo que envolvia você, da sua capacidade de me entender, das suas brincadeiras estupidas que me fazia rir. Estou me agarrando as pequenas bobeiras e distrações, eu sei que não vou aguentar muito tempo sem você. Então por favor, me abrace forte e beije meus lábios com a suavidade que apenas você tem, tire essa augustia do meu coração, espante meu desespero, e apague minha depressão.


ps: texto gay não? total ficção gente, nem sou dependente de homem assim e tals, só eu gostei do meu novo layot? a bella que fez :D , meu niver passou foi bom e pá. e só rs , beeeeeijos
xoxo
geo.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

É Nessas Horas..

Que a vontade de enfiar minha cabeça num balde e ficar lá. As coisas estavam todas ferradas mesmo. Ficar trancada do lado de fora da própria casa me deu um bom tempo pra pensar, mesmo estando com uma raiva profunda do desligado do meu irmão no fundo eu tinha gostado. Me deu um tempo pra ficar só. Pra não pensar nas coisas que rodavam meu dia, que me perseguiam pra onde eu ia. Naquele curto tempo de uma mera solidão pude me importar com as coisas bobas, com as coisas que não importava mas eu tinha que finjir que meus problemas eram pequenos e que eu podia suportar eles. Eu tinha que mentir pra mim mesma pra suportar tudo. Me peguei pensando o quanto eu devo pras minhas fiéis irmãs. Não amigas. irmãs. Aquelas que independente do quão eu estou errada ela estão do meu lado e isso é um reconforto tão grande. Me peguei pensando também naqueles meus amigos que estavam tão alheios a tudo que anda passando, era bom. Era como se uma parte da minha vida não tivesse um caos. E novamente me peguei pensando se algum dia as coisas voltaria ao seu devido lugar. Queria afungentar esses pensamentos porque eu não queria chorar nem nada, eu só queria enfiar minha cabeça num balde e ficar lá, sendo a boba alegre e finjindo que novamente tudo isso era um pesadelo, um engano, uma falta de comunicação quem sabe. Agora eu estava começando a perceber que meus olhos estavam ficando cada vez mais pesados, meu corpo estava um pouco adormecido e minha mente já se desligava aos poucos, quem se impotaria deu dormir na calçada da minha própria casa? Foi quando eu ouvi. Meu irmão me gritando dizendo que tinha a chaves em mãos agora.

---
ps: é gente, eu fiquei mesmo do lado de fora. culpa do idiota do meu irmão, minha bexiga estava até inchada, minha cabeça ia explodir mas tudo bem. então pessoas eu particulamente, nem gostei do post ngm vai entender acho que só uma pessoa MAS whathever. nem achei foto pra colocar meu fotografo sumiu sabe. me abandonou e só sabe trabalhar D:

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Eu te amo


Eu disse aquelas palavras num sussurro mas com um efeito de um grito. Já tinha me arrependido antes mesmo de você expressar alguma emoção. Eu sentia que tinha sido na hora errada, sabia que você não estava preparado, mas tinha tanta convicção que você sairia correndo que foi como um balde de água fria quando você abriu um largo sorriso e disse no mesmo tom que me amava também. Agora como nunca sabia em quem os meu braços se encaixavam, sabia que você sempre seria o meu amor eterno independente se tomássemos vidas diferentes.

Você nunca será minha metade da laranja ou algo do tipo. Porque você nunca chegou perto de se parecer comigo. Quebrou as regras do meu mundo, me virou do avesso e me roubou o oxigênio, mudou minha rotina. E como eu amo tudo isso em você.
Os desentendimentos são dissolvidos quando olho no seus olhos e vejo a suplica de um perdão ou quando simplismente percebemos que brigar não nos levará a nada. Um sorriso bobo se espalha no meu rosto quando sua mão se entrelaça com a minha enquanto você sussurra aquelas palavras mágicas, denovo e denovo. E mais um vez afirmo que você nunca poderá ser a metade indêntica da minha laranja.
--
ps:texto sem sentido ou não? Adooooro posts sensiveis e apaixonados rs, então gente como anda a vida louca de voces? AAH, lembrei! Meu niver ta chegando *tchaca tchaca* que feliz, vou envelhecer *-*
enfim gente espero que gostem, to postando isso em recompensa ao meu ultimo post e pá :)
foto:http://www.flickr.com/photos/gabriellramos o melhor fotografo EVER :)

sábado, 1 de agosto de 2009

haha,aqui é a isa.

Well,ela nao gosta daqui,mas eu vou fazer ela gostar na insistência ! :D
-------------------------------------------------------------------------------------------------
não resisti,tinha que vir falar mais merda! A Geovanna escreve bem dude,sério..mas ela simplesmente nao escreve direito aqui ! Isso é coisa de jones.
Geovanna,eu fiquei um dia inteiro no NOTEBOOK procurando template pra você,e olha touchpad é meio fodinha de mexer.. tive que mudar codigos HTML,arrumar postagens e etc.
E ainda fiz suas malditas capas.. (tentei :x)
E então.. pelo menos em público disfarce e diga obrigado..quando tivermos num lugar menos movimentando nos caimos na porrada se preferir rs.

bjs gatz :*

eu só queria agradecer a quem veio aqui torrar a Geo,estão me deixando feliz. hahaha

beijos da isa :*
www.silenceisscarysound.blogspot.com

terça-feira, 28 de julho de 2009

a sua dor se torna minha


A partir do momento em que não precisamos de sequer um olhar pra eu saber o quão mal você estar, isso soa patético aos seus ouvidos não é? Mas você não entende que isso sufoca meus pulmões, esmaga meu coração. Isso tudo me deixa tão confusa. Não vejo a hora de poder segurar sua mão, querer te acalmar, quando a única coisa que eu posso fazer é falar palavras vazias. Vamos sair dessa juntos. Eu sei que vamos, eu preciso acreditar nisso, acreditar num futuro melhor para nós, não podemos desistir. Eu sabia que seria difícil, e você também, você sempre soube que teríamos que derrubar muralhas e muralhas. Por favor não desista, chegamos longe, não podemos olhar pra trás nessa altura do campeonato. Você disse que diria estar bem se essa fosse a verdade, mas você não tem coragem de mentir pra mim não é ? Então por favor acredite em mim quando eu digo que isso vai ficar em nossas lembranças quando você estiver melhor. Não tenha duvidas do nosso amor, pois ele pode superar tudo e isso é apenas uma prova.


ps: homenagem a esses acontecimentos com a isa :x mas bom, pelo menos essa merda de tendinite me inspirou, e rafah , briigadux pelo selo *.*

créditos a foto: http://www.flickr.com/photos/angelorocha

domingo, 12 de julho de 2009

i wanna be a rock star! \m/

A música rock (ou simplesmente rock) é um termo abrangente para definir gênero musical popular que se desenvolveu durante e após a década de 1960. Suas raízes se encontram no rock and roll e no rockabilly que emergiu e se definiu nos Estados Unidos da América no final dos anos quarenta e início dos cinqüenta, que evoluiu do blues, da música country e do rhythm and blues, entre outras influências musicais que ainda incluem o folk, o gospel, o jazz e a música clássica. Todas estas influências combinadas em uma simples estrutura musical baseada no blues que era "rápida, dançável e pegajosa".
No final dos década de 1960 e início dos anos setenta, o rock desenvolveu diferentes subgêneros. Quando foi misturado com a folk music ou com o blues ou com o jazz, nasceram o folk rock, o blues-rock e o jazz-rock respectivamente. Na década de 1970, o rock incorporou influências de gêneros como a soul music, o funk e de diversos ritmos de países latino-americanos. Ainda naquela década, o rock gerou uma série de outros subgêneros, tais como o soft rock, o glam rock, o heavy metal, o hard rock, o rock progressivo e o punk rock. Já nos anos oitenta, os subgêneros que surgiram foram a New Wave, o punk hardcore e rock alternativo. E na década de 1990, os sub-gêneros criados foram o grunge, o britpop, o indie rock e o nu metal.
O som do rock muitas vezes gira em torno da guitarra elétrica ou do violão e utiliza um forte backbeat (contratempo) estabelecido pelo ritmo do baixo elétrico, da bateria, do teclado, e outros instrumentos como órgão, piano, ou, desde a década de 1970, sintetizadores digitais. Junto com a guitarra ou teclado, o saxofone e a gaita (estilo blues) são por vezes utilizados como instrumentos solo. Em sua "forma pura", o rock "tem três acordes, um forte e insistente contratempo e uma melodia cativante".


'Cause we all just wanna be big rockstars
And live in hilltop houses driving fifteen cars
The girls come easy and the drugs come cheap
We'll all stay skinny 'cause we just won't eat
And we'll hang out in the coolest bars
In the VIP with the movie stars
Every good gold digger's
Gonna wind up there
Every Playboy bunny
With her bleach blond hair

Hey hey I wanna be a rockstar
Hey hey I wanna be a rockstar

I wanna be great like Elvis without the tassels
Hire eight body guards that love to beat up assholes
Sign a couple autographs
So I can eat my meals for free
(I'll have the quesadilla, Ah Ha!!)
I'm gonna dress my ass
With the latest fashion
Get a front door key to the Playboy mansion
Gonna date a centerfold that loves to
Blow my money for me
(So how you gonna do it?)
I'm gonna trade this life for fortune and fame
I'd even cut my hair and change my name



--
feliz dia do rock ! :*

terça-feira, 7 de julho de 2009

veeeergonha :$

GEEEEEEEEEEMT EU SUMI, fui seqüestrada pelo umpa lumpas e fui obrigada a comer cacau o dia todo, dei uns pega no willy wonka *--*
agora é serio, minha mae não tava deixando eu entrar, aí eu fiquei sem net uma semana depois meu pai levou o cabo do modem pra MARANHÃO
mas enfim, muuuuuuito obrigada pelos selos rafah e desculpa por não repassar , brigada tbm isa minha vida.
Agora vamos ao que interessa:
Estou um pouco afetada pela falta que minhas amigas fazem, eu não sabia que elas podiam fazer tanta falta xx*
e sinceramente eu sinto falta até das brigas bobas,
estou LOOOOUCA pra ver HP 6 , vai ser tão lindo *--*
e nessas férias eu vou postar POUQUISSIMO porque eu vou pra roça , vou pro clube, vou pra minha avó e etc :/
sinto muito gente! D:
pra animar os poucos que leiam isso vejam esse video:
http://www.youtube.com/watch?v=H949TaEpHz8
vcs vão gostar , bom eu acho! HAHAHAHAHA
agora eu preciso pessoas
me sigam: http://twitter.com/geovannafa2
beijos gatinios
xxx
geovanna

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Everytime I fall asleep


my dreams are haunted!
Tá, hoje meu post vai ser menos brisa e mais coisa besta. Tipo assim eu to sozinha surtando com o video dos mcgays e os jonas sisters (trocadilho interno e) , eu nunca quis tanto ir pra escola pra ver as minhas gays. Meu estado de espirito se encontra na TPM (?) e eu preciso ser suicida colocando FIL pra repetir pelo milésima vez. Eu to louca por HP nos cines, pra ver com as meninas meia noite e vai ser tão maara que eu to com medo do que a gente pode aprontar -s.
Minhas férias já começaram horrivéis e espero que ela melhore com o passar do tempo se não eu vou fazer recuperação.eka eka
Juro que queria matar com minha mãe quando ela disse: voce vai ficar 40 minutos no computador e se vc ficar mais tempo eu vou descobrir. Mas aí vc pensa: ué Geovanna, larga de ser bobinha e fica mais tempo. como ela vai descobrir?! Simples. Meu irmão cabeça de ovo vai sair correndo que nem uma bicha pra contar pra minha mãe que eu fiquei mais tempo aí adeus computador nas férias! Esou loucamente sedenta por donutts e eu espero que eu nunca mais poste coisas tão sem sentidos e incomuns como nesse post. Revoltei nessa madrugada e decorei meu guarda roupa por dentro e meu irmão quase morreu quando viu mais mcFly na minha porta e no guarda roupa. Até a Kris tá no meu guarda roupa agora! Mas lá se foi uma revista Capricho com essa história. Meu tempo ta acabando e eu to brisando no meu blog. -.- To morrendo de saudades da Loh/Kah/Isa/Rute tuti fruti/Sophia/Lorrany e pá D:
Acho que eu não deveria ter comido tanto doce,agorinha fazendo efeito e agorinha eu saiu pulando que nem uma macaca na rua. adios prezados leitores ;*
xx
Geovanna cara de banana.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Cansada de tudos e todos.





Estou farta, da hipocrisia, das pessoas que nos julgam sem saber o que somos de verdade , das pessoas que só se importam com palavras futeis sem razão. Estou com tédio dos mal olhares, da falsa amizade e dos tropeços. Estou indiferente ao caos a minha volta, e verdadeiramente só me importo com quem se importa comigo. Cansei de ser a palhaça de todos e cansei mais ainda dos idiotas que me odeiam, odeia porque quer, nunca fiz nada de mais NA MINHA SIMPLES opinião, ninguém liga pra ela mesmo. Chega de falsos sorrisos e conversas mortas. Eu quero apenas meus verdadeiros amigos (os poucos) e foda-se o resto. Não preciso deles pra ser feliz.

sábado, 13 de junho de 2009

Doces


Brigadeiro, cajuzinho, beijinho, olho de sogra, algodão doce, melado, bolo recheado e afins. Quem nunca meteu um dedão no bolo de aniversário do primo de 3 anos que atire a primeira pedra! Então a dica do ano é essa: saboreie cada doce que voce colocar na boca. De uma simples balinha grudenta até um enorme pedaço de mouse! Porque a vida está muito amarga. cheia de desavenças e chatices. Deixe sua vida mais doce. Esqueça sua dieta, tape seus ouvidos para as reclamações de sua mãe sobre como voce não para de comer, roube docinhos da festa do seu irmão, enfie o dedo no brigadeiro quente e tome uma lata de leite condensado sozinho! Voce pode até engordar, mas sinceramente? Doce nunca é demais.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

AMOOOR

Eu fiz e o Gabriell mudou algumas coisas já que estava um merda devido aos meus surtos ouvindo radio msn rs, mas eu gostei e pá :]

a incerteza de um coração apaixonado ou a ilusão de um caso perdido. coisas estranhas e remotas acontecem por um simples sentimento intenso e infinito. Somos movidos pelo amor, pela paixão. Por aquelas BORBOLETAS em nossa barriga e pelas pernas bambas causadas por um beijo, por apenas uma fitada em seus olhos. Amar é mais que tudo que possamos imaginar, amar é se render, se entregar, é confiar. Amar é simples e complicado, é a o sentimento que mais desejamos que as pessoas tenham pela gente. Nascemos pra amar e morremos por amor. love you cold be so easy... ♥

sábado, 23 de maio de 2009

A minha felicidade são

as dos meu amigos. Amigos distantes, amigos de infância, amigos secretos e amigos confidentes. São apenas amigos, mas que fazem toda a diferença, porque amizade não se baseia em anos ou tempos de convivência mas sim num olhar cúmplice num sorriso fraterno e num abraço apertado, amigos aparecem aonde voce menos espera! é incrível como posso amar pessoas tão idiotas com seus mil e um defeitos e manias mas aceita-las e dizer: não importa. realmente não importa! Porque todos os defeitos são banais em comparação a felicidade que vocês trazem a mim! São pessoas que vou levar cada pedaço comigo pra onde quer que eu vá. São meu alicerce, meu motivo de choros de emoção e pulos de alegrias. Minhas pequenas e sinceras amigas, eu amo voces, todas sempre estarão comigo aonde eu for. Voces são minhas estrelas! (vou chorar)

dedico essa coisa que eu vou chamar de texto á: Lohany, Caroline, Izabella e Isabella, Rute e Kamilla. voces são tudo!

Seguidores