segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Morte



Minhas pernas iam ceder a qualquer momento, mas eu continuava a correr sem olhar pra trás, tentava debilmente correr pra ver se tudo aquilo ficasse pra trás, mas a única coisa que realmente acontecia era o vento cortando o meu rosto de uma forma abrupta. Eu não me importava mais nem com as lágrimas nem com nada. Estava no pior tipo de estupor, estava cética. Não queria acreditar, não queria ver a verdade. Não devia. Mas ela chegaria tão rápida e inesperadamente que chegava doer. Eu tinha perdido uma das pessoas mais essenciais da minha vida, ela fazia minha segurança; minha paz; minha alegria. Agora era ela tinha ido embora. Eu não me despedi. Me sentia tão frustrada, tão sem chão. Eu ao menos sabia se ela realmente sabia o quão importante ela era pra mim. Eu queria berrar. Queria agir. Porque aquilo estava entalado na minha garganta como um nó cego, se eu já achava a vida injusta, agora não tinha nenhum vestígio de dúvida. Agora eu entendia o real poder da Morte sobre as pessoas. Eu sabia que um dia aquela dor absurdamente grande iria saindo do meu peito conforme o tempo, mas era difícil acreditar em um futuro. Nem um abraço acalmaria minha dor nem um sorriso reconfortante alimentaria minhas esperanças de uma nova alegria.
Havia se passado alguns dias depois da morte dela. (ainda era difícil pronunciar o seu nome) As coisas ainda eram um pouco.. insuportáveis mas devo admitir. Havia aprendido muito. Aprendido que As pessoas morriam. E aqueles que ficavam tapava seus olhos para o passado de desavenças. Fingiam ser surdos para as palavras venenosas que lançam contra aqueles que havia perdido. Ignorava as imperfeições que tanto odiava e tentava sugar ao máximo todas as lembranças, aquelas maravilhosas lembranças que todos querem levar pra si para sempre.
Nada pode ser invertido agora e devo aprender a lidar com essa dor. Espero que ela desapareça e que fique apenas memórias. Porque é tudo que me resta agora.

ps: ta, muito triste não? é eu sei :/ mas caaaaaalma ninguém morreu! só queria demonstrar a vocês como eu acho que as pessoas se sentem quando perdem alguém. É gente, eu sei falar sobre sentimentos que nunca realmente senti. estranho? meu dom e rs , mas enfim galere espero que gostem! comeeeeeentem rere
beeeijos
geo.

10 bolhas estouradas:

isabella M. disse...

geovanna,você me deprime. sério. Seus textos me tocam,e eu não gosto disso. rs

Rafah disse...

tem um selo pra ti no meu blog...

beijo

Narinha. disse...

Amei o texto. E é bem aqui que as pessoas se sentem quando perdem alguém, pelo menos é o que eu sinto, rs.

bjs (:

PS: A verificação de palavras aqui deu ''comma'' medo q

MaressaBrito disse...

EU ADOROOO tudo que escreve,
affs te quero veeeer fazendo um livro...
sauhhsausahuuhsa *-*

/carla disse...

Adorei ;D
Já perdi pessoas importantes e é semelhante a isso ;)

~ wanessa disse...

você escreve bem õ/
foi triste,mas adorei (:

Samuel Lucas disse...

Massa!

Paula disse...

Voce escreve mt beemm!!
Amei o blog!

Tatáh disse...

Vc escreve muitoo beem...texto deprimente...mais mesmo assim AMEIII *--*

Elyza C. disse...

Adoreei !! Parabéeens lindia!

Seguidores